Skip to main content
prev
next

Seja o primeiro a saber

toda a verdade

Proteja os seus filhos e seus entes queridos.

Tenha controlo total com o nosso software

Nenhum outro software

 oferece mais.

Wednesday, April 04 2018
Porque as mulheres andam a trair mais?

Ultimamente, as páginas dos média estão repletas de histórias de maridos infiéis. Mas no topo das manchetes está o crescente número de infidelidades femininas. As mulheres mais jovens, com menos de 25 anos, e as mulheres com mais de 50 anos estão a trair mais do que nunca. A infidelidade masculina, estimada entre 50-60%, manteve-se relativamente estável nos últimos anos. A infidelidade feminina tem aumentado progressivamente sendo que, as estimativas actuais, apontam para um intervalo entre 45-55%. Muitos peritos sugerem que a infidelidade feminina pode, em breve, rivalizar com a do “sexo forte”. Então, porque assistimos a um aumento tão acentuado num período tão curto de tempo?

Primeiro, não tenho a certeza de que as percentagens reais sobre infidelidade feminina estejam a aumentar tanto quanto pensamos. O que pode ser crescente é a nossa tomada de consciência desse realidade. Durante milhares de anos, as mulheres sofreram punições sociais horríveis quando apanhadas a cometer adultério. As mulheres infiéis foram violadas, prostituídas, espancadas, mutiladas, condenadas ao ostracismo e mortas por meios brutais, desde estrangulamento até ao apedrejamento. Apesar da muita pesquisa e do substancial aumento do conhecimento sobre a sexualidade humana nos últimos 100 anos a infidelidade permaneceu no domínio do secreto, especialmente por parte das mulheres. As estimativas sobre infidelidade feminina ainda são amplamente consideradas como estimativas deflacionadas, devido ao medo e à vergonha que as mulheres têm em assumir o comportamento sexual infiel.

Actualmente, cada vez mais pessoas consideram a infidelidade como algo comum, compreensível, até normal e espectável. Num estudo recente (AARP), apenas 22% dos entrevistados consideraram a infidelidade como um comportamento errado ou condenável, em comparação com uma taxa de 41% quando esta mesma questão foi avaliada em 1999. Portanto, podemos estar a falar mais sobre infidelidade, não porque esteja a ocorrer numa maior escala, mas simplesmente porque, hoje em dia, é mais seguro falar sobre o assunto.A “moral e bons costumes” dos últimos séculos tentou-nos fazer crer que a infidelidade feminina era coisa rara quase pertença exclusiva do mundo da ficção literária No livro Wanton Wenches and Wayward Wives, o autor descreve, com um detalhe quase pornográfico, o elevado grau de infidelidade feminina que encontrou reflectido nos registos legais da Inglaterra do século XVII.

Em próximas artigos irei abordar alguns dos principais motivos porque acredito que a infidelidade feminina está aumentando de forma galopante. Vamos discutir as muitas mudanças que contribuem para que as mulheres rivalizem com os homens na arte de enganar o parceiro.

Posted by: Tutelacelular AT 05:40 pm   |  Permalink   |  Email